Rendemos graças à Trindade Santa,
no Aniversário da Fundação de nosso Mosteiro e
Início do Louvor Divino.

 

No dia 05 de setembro, partem as monjas de Belo Horizonte para Salvador. Após as Laudes, no Capítulo, reuniram-se a Comunidade a as fundadoras para uma pequena cerimônia de envio. Foram entregues às fundadoras a Cruz, a Santa Regra e o Saltério, que serão sinais vivos do Cristo: A Cruz, “a lembrar-nos que somos chamadas a participar cada dia, pela paciência, da Paixão do Cristo, perseverando no Mosteiro. A Santa Regra, “que nos aponta como viver na vocação monástica os valores evangélicos”. O Saltério, que já traz a presença viva de Cristo rezando em nós. Me. Luzia fez uma breve colocação e sublinhou o lema daquela comunidade nascente:

“Salvatorem Expectamus” (Esperamos o Salvador). A cerimônia se encerrou com a despedida e a antífona de envio, “In Viam Pacis”.

No dia 07 de setembro, efetivou-se a bênção do Mosteiro do Salvador para o Início do Louvor Divino. Na celebração da bênção do novo mosteiro achavam-se presentes o Sr. Cardeal D. Avelar Brandão Vilela, os Abades celebrantes, monges, sacerdotes e amigos. A celebração foi iniciada com todo o povo reunido no jardim onde D. Abade Presidente Basílio leu a carta da Santa Sé sobre a criação do novo mosteiro. Acompanhado com uma antífona de entrada, o Cardeal abençoou o santuário e o sacrário e todas as dependências da casa. Em procissão seguiram para a Igreja. No final da concelebração D. Abade Presidente entregou solenemente à Prioresa Madre Joana as chaves da clausura e do sacrário do Mosteiro recém-inaugurado. O Mosteiro do Salvador permaneceu em Brotas até o ano de 1981, quando, aos 15 de janeiro, mudou-se para Coutos, onde até hoje vive.

E ainda graças, Pela Crisma de jovens que participam em nosso Mosteiro.