MG 0146

Depoimento da autora

 

Chamo este tipo de trabalho que eu faço de “sombra”, pensando na beleza da arte do paraíso. A minha é apenas sombra. Inspiro-me no que vejo à minha volta, sobretudo na natureza. É um trabalho livre, não há um ponto especifico uso mais o ponto corrente, o ponto atas ou o haste. Utilizo-os por serem mais fáceis, não há riscos, é tudo espontâneo. Penso em fazer algo, começo, mas, se no decorrer esse algo lembra outra coisa, então eu trabalho aquilo que mais se assemelha ao pensamento. Não consigo fazer dois desenhos idênticos, apenas se assemelham, porém não ficam iguais.

Isto para mim é como um parto gosto de trazer à luz meu grito interior. Não gosto de coisa certinha, padronizada. As cores. Vêem por intuição dos ajustes, amo os contrastes de cores.